Regulador do sector com 11,5 milhões anuais para apoiar eficiência energética

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) disponibiliza 11,5 milhões de euros em 2016 e outro tanto em 2017 para as empresas que desenvolvam soluções que promovam a poupança de energia. As candidaturas estão abertas até 15 de Abril.

As empresas do sector energético, associações de defesa do consumidor, universidades ou associações municipais ou empresariais podem candidatar-se a uma verba de 23 milhões de euros para desenvolver soluções que aumentem a poupança de energia. O Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de Energia Eléctrica para os anos de 2017 e 2018 foi lançado esta terça-feira, 16 de Feveiro, pelo secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, e as candidaturas estão abertas até 15 de Abril.

 

As candidaturas estão abertas a "comerciantes de energia eléctrica, operadores das redes de transporte e distribuição de energia, associações que promovam a defesa do interesse dos consumidores, associações municipais e empresariais, agências de energia, instituições de ensino superior e centros de investigação", informa o Governo.

 

As medidas serão dirigidas, na sua maioria, aos sectores da indústria e da agricultura "pelo seu peso estratégico na redução de custos das empresas, especialmente as de pequena e média dimensão (PME)", mas também está previsto que cheguem ao mercado residencial. Os interessados poderão apresentar medidas com efeitos visíveis (tangíveis), "como a instalação de equipamentos de maior eficiência energética", ou medidas destinadas a informar e sensibilizar os consumidores para a eficiência energética" (intangíveis). Estas últimas terão reservada a fatia mais pequena do orçamento.

 

Na edição anterior deste plano, que é coordenado pela ERSE, nos anos de 2013 e 2014, foram igualmente disponibilizados 23 milhões de euros. Nessa edição, foram apresentadas 207 medidas por 65 promotores. Foram aprovadas 70 medidas, na sua maioria provenientes de agências de energia e comercializadores de energia.

 

Em declarações publicadas no portal do Governo, lê-se que o objectivo com o lançamento deste plano é "aumentar os ganhos de eficiência energética, para além de ampliar os benefícios ambientais, tornando as empresas mais competitivas", o que se vai traduzir na "criação de emprego" e "crescimento económico".

Posted on 17-02-2016 in Negocios

sala_reunioes.jpg